|

Textos de Divulgação


Revista Língua Portuguesa. São Paulo: Editora Segmento, 2006-hoje.

ISBN 1808-3498



VIARO, M. E. A vida na ortografia. Língua Portuguesa, v. 108, p. 46-49, 2014.

VIARO, M. E. A novela do novelo. Língua Portuguesa, v. 107, p. 44-47, 2014.

VIARO, M. E. O controle das derivas. Língua Portuguesa, v. 106, p. 44-47, 2014.

VIARO, M. E. A vingança dos prefixos. Língua Portuguesa, v. 105, p. 48-50, 2014.

VIARO, M. E. Traídos pelos sentidos. Língua Portuguesa, v. 104, p. 48-50, 2014.

VIARO, M. E. Atchim: as origens e trajetórias da palavra 'espirrar'. Língua Portuguesa, v. 103, p. 40-43, 2014.

VIARO, M. E. Uma trajetória solitária. Língua Portuguesa, v. 102, p. 54-57, 2014.

VIARO, M. E. O mostrengo. Língua Portuguesa, v. 101, p. 50-53, 2014.

VIARO, M. E. A torre de Babel. Língua Portuguesa, v. 100, p. 48-51, 2014.

VIARO, M. E. Saídas Ilusórias. Língua Portuguesa, v. 99, p. 48-51, 2014.



VIARO, M. E. Sementes perdidas. Língua Portuguesa, v. 98, p. 44-47, 2013.

VIARO, M. E. Com o pé no passado. Língua Portuguesa, v. 97, p. 46-49, 2013.

VIARO, M. E. Patriotismo linguístico. Língua Portuguesa, v. 96, p. 46-49, 2013.

VIARO, M. E. A escolha ortográfica pelo mal. Língua Portuguesa, v. 95, p. 28-31, 2013.

VIARO, M. E. Conjunções flutuantes. Língua Portuguesa, v. 94, p. 50-53, 2013.

VIARO, M. E. Solvente universal. Língua Portuguesa, v. 93, p. 52-55, 2013.

VIARO, M. E. Os deslocamentos da transformação radical. Língua Portuguesa, v. 92, p. 46-49, 2013.

VIARO, M. E. Sufixos têm ideologia?. Língua Portuguesa, v. 91, p. 16-19, 2013.

VIARO, M. E. A implacável lei da natureza. Língua Portuguesa, v. 90, p. 48-50, 2013.

VIARO, M. E. A língua do paraíso. Língua Portuguesa, v. 89, p. 26-28, 2013.

VIARO, M. E. Distantes ou próximas?. Língua Portuguesa, v. 88, p. 52-54, 2013.

VIARO, M. E. Uma confusão dos diabos. Língua Portuguesa, v. 87, p. 52-54, 2013.



VIARO, M. E. Fantásticas fantasias. Língua Portuguesa, v. 86, p. 56-58, 2012.

VIARO, M. E. A secante vai pela tangente. Língua Portuguesa, v. 85, p. 58-60, 2012.

VIARO, M. E. Em berço esplêndido. Língua Portuguesa, v. 84, p. 26-29, 2012.

VIARO, M. E. Há diversão no divórcio?. Língua Portuguesa, v. 83, p. 54-56, 2012.

VIARO, M. E. As palavras multifacetadas. Língua Portuguesa, v. 82, p. 52-55, 2012.

VIARO, M. E. Encontros mutantes. Língua Portuguesa, v. 81, p. 56-59, 2012.

VIARO, M. E. O trajeto até a cibercultura. Língua Portuguesa, v. 80, p. 54-56, 2012.

VIARO, M. E. O eixo vertical das palavras. Língua Portuguesa, v. 79, p. 52-55, 2012.

VIARO, M. E. O doce enigma do brigadeiro. Língua Portuguesa, v. 78, p. 54-57, 2012.

VIARO, M. E. Palavras jogadas fora. Língua Portuguesa, v. 77, p. 52-55, 2012.

VIARO, M. E. A âncora da palavra. Língua Portuguesa, v. 76, p. 54-57, 2012.

VIARO, M. E. A origem do "uai". Língua Portuguesa, v. 75, p. 20-22, 2012.



VIARO, M. E. Do fruto às raízes. Língua Portuguesa, v. 74, p. 50-53, 2011.

VIARO, M. E. O sabor é o de menos. Língua Portuguesa, v. 73, p. 48-51, 2011.

VIARO, M. E. O engano da deformação. Língua Portuguesa, v. 72, p. 56-59, 2011.

VIARO, M. E. Em direção às origens. Língua Portuguesa, v. 71, p. 54-57, 2011.

VIARO, M. E. Pronúncia imprevisível. Língua Portuguesa, v. 70, p. 36-39, 2011.

VIARO, M. E. Línguas mistas. Língua Portuguesa, v. 69, p. 54-57, 2011.

VIARO, M. E. Caminhos separados. Língua Portuguesa, v. 68, p. 54-57, 2011.

VIARO, M. E. Sentidos muito esquisitos. Língua Portuguesa, v. 67, p. 58-61, 2011.

VIARO, M. E. As conexão da "transa". Língua Portuguesa, v. 66, p. 54-57, 2011.

VIARO, M. E. Laços de compromissos. Língua Portuguesa, v. 65, p. 56-59, 2011.

VIARO, M. E. O rugido do ligre. Língua Portuguesa, v. 64, p. 54-57, 2011.

VIARO, M. E. Lenga-lenga encontra Durango Kid. Língua Portuguesa, v. 63, p. 52-55, 2011.



VIARO, M. E. A caixa de Pandora. Língua Portuguesa, v. 62, p. 56-59, 2010.

VIARO, M. E. Vocabulário flamejante. Língua Portuguesa, v. 61, p. 54-56, 2010.

VIARO, M. E. "Pizza" é alemã. Língua Portuguesa, v. 60, p. 22-24, 2010.

VIARO, M. E. Um alegre jogo da origem. Língua Portuguesa, v. 59, p. 60-62, 2010.

VIARO, M. E. Patrimônio das línguas. Língua Portuguesa, v. 58, p. 58-60, 2010.

VIARO, M. E. Com a corda bem esticada. Língua Portuguesa, v. 57, p. 60-62, 2010.

VIARO, M. E. A náusea do preconceito. Língua Portuguesa, v. 56, p. 58-60, 2010.

VIARO, M. E. Pintando o sete. Língua Portuguesa, v. 55, p. 58-60, 2010.

VIARO, M. E. A identidade da gramática. Língua Portuguesa, v. 54, p. 30-33, 2010.

VIARO, M. E. A origem dos pecados. Língua Portuguesa, v. 53, p. 60-62, 2010.

VIARO, M. E. O sopro das palavras. Língua Portuguesa, v. 52, p. 42-44, 2010.

VIARO, M. E. Estrangeirismo de mercado. Língua Portuguesa, v. 51, p. 52-55, 2010.



VIARO, M. E. A marcha das palavras. Língua Portuguesa, v. 50, p. 60-62, 2009.

VIARO, M. E. De onde vem o sinueiro?. Língua Portuguesa, v. 49, p. 60-62, 2009.

VIARO, M. E. A linguística de Grimm. Língua Portuguesa, v. 48, p. 60-62, 2009.

VIARO, M. E. Longe da ciência. Língua Portuguesa, v. 47, p. 58-60, 2009.

VIARO, M. E. Os palpites de Platão. Língua Portuguesa, v. 46, p. 60-62, 2009.

VIARO, M. E. Síndrome do "spam". Língua Portuguesa, v. 45, p. 54-56, 2009.

VIARO, M. E. O estigma do caipirês. Língua Portuguesa, v. 44, p. 30-33, 2009.

VIARO, M. E. Nem assim tão iguais. Língua Portuguesa, v. 43, p. 58-60, 2009.

VIARO, M. E. Palavras não têm rugas. Língua Portuguesa, v. 42, p. 60-62, 2009.

VIARO, M. E. Os tentáculos do particípio. Língua Portuguesa, v. 41, p. 60-62, 2009.

VIARO, M. E. Pedir e perguntar, é só procurar. Língua Portuguesa, v. 40, p. 56-58, 2009.

VIARO, M. E. O câncer da etimologia fácil. Língua Portuguesa, v. 39, p. 60-61, 2009.



VIARO, M. E. As cartas na manga do idioma. Língua Portuguesa, v. 38, p. 60-62, 2008.

VIARO, M. E. A data das palavras. Língua Portuguesa, v. 37, p. 60-62, 2008.

VIARO, M. E. Irmãos em litígio. Língua Portuguesa, v. 36, p. 60-62, 2008.

VIARO, M. E. A pronúncia dos antigos. Língua Portuguesa, v. 35, p. 62-64, 2008.

VIARO, M. E. Os quintos dos infernos. Língua Portuguesa, v. 34, p. 62-64, 2008.

VIARO, M. E. Rumos parecidos. Língua Portuguesa, v. 33, p. 60-62, 2008.

VIARO, M. E. Os reis da pelada. Língua Portuguesa, v. 32, p. 60-62, 2008.

VIARO, M. E. O guerreiro da língua portuguesa. Língua Portuguesa, v. 31, p. 60-62, 2008.

VIARO, M. E. Passado Animal. Língua Portuguesa, v. 30, p. 62-64, 2008.

VIARO, M. E. O delírio etimologizante. Língua Portuguesa, v. 29, p. 62-64, 2008.

VIARO, M. E. A raiz do falar. Língua Portuguesa, v. 28, p. 62-64, 2008.



VIARO, M. E. Quando a cultura é só cultivo. Língua Portuguesa, v. 27, p. 62-64, 2007.

VIARO, M. E. O mundo no plural. Língua Portuguesa, v. 26, p. 60-62, 2007.

VIARO, M. E. As esquisitices do tempo. Língua Portuguesa, v. 25, p. 60-62, 2007.

VIARO, M. E. A herança que está na fala. Língua Portuguesa, v. 24, p. 60-63, 2007.

VIARO, M. E. A esperança é a última que foge. Língua Portuguesa, v. 23, p. 62-63, 2007.

VIARO, M. E. O passado do passarinho. Língua Portuguesa, v. 22, p. 62-64, 2007.

VIARO, M. E. O pescoço da girafa. Língua Portuguesa, v. 21, p. 62-64, 2007.

VIARO, M. E. Ramo lá, carralo réio!. Língua Portuguesa, v. 20, p. 62-64, 2007.

VIARO, M. E. Palavras que levam ao arco-íris. Língua Portuguesa, v. 19, p. 62-64, 2007.

VIARO, M. E. O outro Saussure. Língua Portuguesa, v. 18, p. 64-65, 2007.

VIARO, M. E. O império do falante. Língua Portuguesa, v. 17, p. 62-64, 2007.

VIARO, M. E. Palavras encapetadas. Língua Portuguesa, v. 16, p. 64-65, 2007.

VIARO, M. E. O primo romeno. Língua Portuguesa, v. 15, p. 64-65, 2007.



VIARO, M. E. Palavras sem origem. Língua Portuguesa, v. 14, p. 52-53, 2006.

VIARO, M. E. Metáforas do pensamento. Língua Portuguesa, v. 13, p. 62-64, 2006.

VIARO, M. E. Troca de sexos no idioma. Língua Portuguesa, v. 12, p. 62-64, 2006.

VIARO, M. E. Coração das palavras. Língua Portuguesa, v. 11, p. 58-61, 2006.

VIARO, M. E. Uma filosofia de cão. Língua Portuguesa, v. 10, p. 62-64, 2006.

VIARO, M. E. Uma longa idade média. Língua Portuguesa, v. 9, p. 64-65, 2006.

VIARO, M. E. A gramática pelo método confuso. Língua Portuguesa, v. 8, p. 62-64, 2006.

VIARO, M. E. Doces bárbaros. Língua Portuguesa, v. 7, p. 62-64, 2006.

VIARO, M. E. A abelha debaixo do tapete. Língua Portuguesa, v. 6, p. 60-61, 2006.

VIARO, M. E. A fala sob suspeita. Língua Portuguesa, v. 5, p. 64-65, 2006.

VIARO, M. E. Para entender outras línguas. Língua Portuguesa, v. 4, p. 62-63, 2006.



Edições Especiais:



VIARO, M. E. O encanto das origens. Língua Portuguesa, p. 18-24, 2011.

VIARO, M. E. O parentesco medieval. Língua Portuguesa, p. 24-25, 2011.

VIARO, M. E. Na terra das peladas. Língua Portuguesa, p. 50-53, 2011.

VIARO, M. E. Os sete pecados capitais. Língua Portuguesa, p. 57-59, 2011.

VIARO, M. E. Quando os gêneros se enlaçam. Língua Portuguesa, p. 60-62, 2011.

VIARO, M. E. O vírus da miragem etimológica. Língua Portuguesa, p. 12-17, 2007.

VIARO, M. E. O passo-a-passo da pesquisa. Língua Portuguesa, p. 66-66, 2006.

VIARO, M. E. Humildade é a prova dos noves. Língua Portuguesa, p. 63-64, 2006.

VIARO, M. E. Como confiar numa etimologia. Língua Portuguesa, p. 62-63, 2006.



Revista Discutindo Língua Portuguesa. São Paulo: Editora Escala Educacional, 2005-2007.

ISSN 1809-0230



VIARO, M. E. Idioma onipresente. Discutindo Língua Portuguesa, v. 9, p. 42-44, 2007.

VIARO, M. E. Encontros e desencontros. Discutindo Língua Portuguesa, v. 7, p. 48-49, 2007.

VIARO, M. E. Para não acabar em "píteça". Discutindo Língua Portuguesa, v. 6, p. 56-58, 2007.

VIARO, M. E. Veja bem: a raiz indo-européia *spek. Discutindo Língua Portuguesa, v. 5, p. 58-60, 2006.

VIARO, M. E. Cada palavra, uma história. Discutindo Língua Portuguesa, v. 4, p. 46-47, 2006.

VIARO, M. E. O nascimento das palavras. Discutindo Língua Portuguesa, v. 3, p. 54-56, 2006.

VIARO, M. E. Parentesco duvidoso. Discutindo Língua Portuguesa, v. 2, p. 54-56, 2006.

VIARO, M. E. Palavras africanas... será?. Discutindo Língua Portuguesa, v. 1, p. 58-60, 2005.



Fechar
Esqueci a senha
Fechar